População de Uberlândia desfruta dos trabalhos especializados na área da saúde

Nos antepassados, a medicina era de caráter mágico-sacerdotal e as doenças eram relacionadas a causas sobrenaturais. O ato médico era a realização de magias, ritos e encantamentos de todos os tipos, associados a práticas empíricas tradicionais.

Somente no século V a.C que surgiu, na Grécia, a medicina hipocrática, que foi separada da religiosidade e das crenças irracionais. Os cursos médicos oficiais começaram na Idade Média com a fundação da Escola de Salento e das primeiras universidades européias, pois anteriormente o ensino da arte médica era feito através das gerações, conforme o juramento de Hipócrates (considerado até hoje, o pai da Medicina). Os primeiros grandes conhecedores da Medicina foram os gregos, dentre eles Hipócrates e Galeno.

Juramento de Hipócrates

“Eu juro, por Apolo, médico, por Esculápio, Higeia e Panacea, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as deusas, cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue: estimar, tanto quanto a meus pais, aquele que me ensinou esta arte; fazer vida comum e, se necessário for, com ele partilhar meus bens; ter seus filhos por meus próprios irmãos; ensinar-lhes esta arte, se eles tiverem necessidade de aprendê-la, sem remuneração e nem compromisso escrito; fazer participar dos preceitos, das lições e de todo o resto do ensino, meus filhos, os de meu mestre e os discípulos inscritos segundo os regulamentos da profissão, porém, só a estes. Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva. Conservarei imaculada minha vida e minha arte. Não praticarei a talha, mesmo sobre um calculoso confirmado; deixarei essa operação aos práticos que disso cuidam. Em toda a casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário e de toda a sedução sobretudo longe dos prazeres do amor, com as mulheres ou com os homens livres ou escravizados.

Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça.” (fonte: http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/medicina.htm)

A medicina no Brasil, com destaque em Uberlândia

Os dados do Ministério da Educação e Cultura (MEC) confirmam que atualmente há no Brasil 138 faculdades em bacharelado de Medicina. São 75 instituições públicas e 63 privadas. Entre as Escolas de Medicina, um dos destaques é a unidade de Uberlândia, fundada a partir de uma reunião realizada no dia 9 de junho de 1966, na Sociedade Médica de Uberlândia, em que estavam presentes os Drs. José Bonifácio Ribeiro, Dr. José Olímpio de Freitas Azevedo e Dr. Ismael Ferreira de Rezende, impulsionadores da idéia do encontro o qual foi presidido pelo Dr. Simão de Carvalho Luz. Ali foram dados os primeiros passos para a implantação da Faculdade Medicina de Uberlândia.

Hoje a Faculdade de Medicina funciona em área do Campus Umuarama, em terreno doado pelo empresário Rui de Castro Santos, um grande pioneiro dos grandes empreendimentos sociais e empresariais da região. A primeira planta do imóvel foi doada pelo arquiteto Ivan Cupertino Rodrigues. O Hospital Infantil foi doado pela Loja Maçônica Luz e Caridade, enquanto o Ambulatório teve como doador o empresário Amélio Marques. No dia 30 de dezembro de 1966 foram iniciadas as obras de construção da Escola, e no dia 8 de fevereiro de 1968 o Conselho Federal de Educação autorizou o seu funcionamento através do decreto nº 62261. No dia 19 de março de 1968 a Faculdade foi inaugurada pelo então Presidente da República Marechal Arthur da Costa e Silva, ao lado de outras grandes autoridades. A primeira turma aprovada no vestibular e que entrou para a escola foi em 1973 e era composta por 95 alunos.

O reconhecimento

O reconhecimento da Escola se deu pelo decreto nº 74.363 de 6 de agosto de 1974 e a partir deste, o Governo Federal passou a pagar os professores e os funcionários à exemplo do que fazia na Faculdade de Medicina de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Isto ocorreu devido a uma lei aprovada pelo Presidente Costa e Silva de quando a Escola, que era totalmente particular, fosse reconhecida seus funcionários seriam pagos pelo MEC.

No ano de 1975 foi firmado um convênio com o INPS através do MEC-MPAS que passou a pagar pelos atendimentos realizados no Hospital de Clínicas. Isto permitiu uma grande expressão da Escola de Medicina. No ano de 1976 passou a integrar a Universidade de Uberlândia e em 1978 tornou-se Federal. Neste ano de 1978 ela deixou de existir como Escola de Medicina e Cirurgia de Uberlândia, passando a ser Curso Médico do Centro de Ciências Biomédicas da Universidade Federal de Uberlândia, tendo permanecido assim até dezembro de 1999, quando entrou em vigor o novo Estatuto da Universidade.

A força de nossa saúde

A cidade de Uberlândia tem hoje 1944 médicos que residem no município. No entanto, o número de profissionais que atuam na área é bem maior porque aproximadamente 300 destes médicos trabalham em Uberlândia, mas com residência em outros municípios. A secretaria do Conselho Regional de Medicina informa que a presidência estadual é do médico Dr. João Batista Soares, enquanto aqui em Uberlândia, os delegados do CRM são os doutores Alexandre Menezes Rodrigues e Melicégenes Ribeiro Ambrósio. Outra entidade que faz grande congraçamento da classe é a Sociedade Médica de Uberlândia, fundada em fevereiro de 1947 e atualmente presidida pela Dra. Leila Lúcia Dias. Aproximadamente 1000 profissionais são associados à entidade que tem sede própria na Avenida Cesário Alvim, número 2.

Dia do Médico

O dia 18 de outubro é considerado o dia do médico em muitos países como Brasil, Portugal, França, Espanha, Itália, Bélgica, Polônia, Inglaterra, Argentina, Canadá e Estados Unidos. Esta data foi escolhida por ser o dia consagrado a Lucas, o “amado médico”, segundo o apóstolo Paulo. Lucas teria estudado medicina em Antioquia, além de ser pintor, músico e historiador; um dos mais intelectuais discípulos de Cristo. A tradição de ter Lucas como o patrono dos médicos se iniciou por volta do século XV.

Neste 18 de outubro, comemora-se o Dia do Médico em referência ao dia consagrado pela Igreja Católica a São Lucas, padroeiro da medicina. O santo, que foi um dos quatro evangelistas, escreveu o “3º Evangelho” e o “Ato dos Apóstolos” do Novo Testamento da Bíblia Sagrada. São Lucas nasceu na Antioquia (atual Turquia), no início do século I. Bondoso, abnegado, peregrinou por muitos lugares curando as pessoas e desafiando instituições políticas. Não conheceu Jesus, mas escreveu o Evangelho, transmitindo suas palavras. Morreu aos 80 anos e seus restos mortais estão na Basílica de Santa Justina, em Pádua, na Itália. São Lucas é o santo dos médicos. Seu nome, como patrono da classe, foi lançado por Eurico Branco Ribeiro, cirurgião paulista e estudioso da vida do santo.

Sua escolha deveu-se às ações que, naquela época, aliviaram o sofrimento de muitos doentes. Desse modo, adotou-se o dia do santo médico para homenagear todos aqueles que, com a mesma tenacidade e dedicação que São Lucas teve um dia, salvam vidas, curam doenças e atenuam os males da saúde.

Uberlândia, referência em Saúde

Uberlândia é hoje o maior centro de desenvolvimento para a saúde. Possuindo grandes clínicas, excelentes hospitais e laboratórios de última geração. Como principal cidade do Triângulo Mineiro e a segunda cidade mais populosa de Minas Gerais, Uberlândia recebeu vários investimentos na área da saúde. O Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) recebeu mais de R$ 5,6 milhões do Ministério da Saúde para os serviços da unidade em 2012. Esta quantia será aplicada na conclusão do prédio de ressonância magnética, instalação do equipamento e demais compras da unidade como, por exemplo, a obtenção de medicamentos e peças de aparelhos.

No dia 28 de setembro de 2012 Uberlândia recebeu 21 ambulâncias. Dezoito ambulâncias para simples transferência de pacientes e três semi-UTI’s, que somam o investimento de cerca de R$1,3 milhões. Após este investimento a frota do município totaliza 55 ambulâncias. Como unidades de atendimento do SUS, Uberlândia conta com o apoio de oito UAI’s. Situadas nos bairros: Pampulha, Tibery, Planalto, Luizote, São Jorge, Roosevelt, Martins e Morumbi.

Hospital Municipal

Após a inauguração do Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro, em 15 de novembro de 2010, a redução de internações nas UAI’s foi bastante perceptível. Por mês são realizadas cerca de 350 cirurgias no hospital e o número de pessoas aguardando por cirurgia eletiva (que não exige urgência) diminuiu 52% no primeiro semestre de 2012, em comparação ao segundo semestre de 2011, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

Ainda de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, juntamente com a Associação dos Hospitais Particulares de Uberlândia e o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), em média 68% dos pacientes que procuram o pronto-socorro de Uberlândia apresenta casos de pouca ou nenhuma urgência, o que representa o mau uso das três redes de saúde da cidade.

A saúde privada

De acordo com a Associação dos Hospitais Particulares de Uberlândia, 70% da procura nos pronto-atendimentos de hospitais privados apresentam urgências consideráveis, especialmente nos pacientes que possuem Plano de Saúde.

A Unimed Uberlândia é uma das administradoras de Planos de Saúde com o maior número de clientes e os hospitais estão sempre aptos ao melhor atendimento, embora os médicos estejam há bastante tempo reivindicando aumento nos procedimentos cirúrgicos, bem como os hospitais em suas diárias.

Hospital do Câncer

O Grupo Luta Pela Vida (GLV), única organização não governamental (ONG) responsável pela construção, conservação e sustento do Hospital do Câncer, foi criado em 1995 e em 1998 o Hospital começou a ser construído no terreno anexo ao Hospital de Clínicas (HC), doado pela Universidade Federal de Uberlândia, no campus Umuarama.

Com inauguração em 8 de abril de 2000, o primeiro piso proporciona os serviços de quimioterapia e radioterapia para tratamento e atendimento ambulatorial, além das estruturas de apoio e da administração. A área de internação para adultos foi inaugurada no fim de 2004, no segundo piso, que atualmente possui 24 leitos. A enfermaria pediátrica se encontra no terceiro piso, que foi inaugurado em 2008 e o quarto piso está em fase de acabamento. Já existe o projeto para o quinto piso, mas tudo dependendo da arrecadação de recursos.

Somente no setor infantil, o Hospital do Câncer de Uberlândia atende aproximadamente 150 crianças por mês e, atualmente, o HC atende cerca de 1700 pacientes mensalmente e registra cerca de 5 novos casos diariamente. O Hospital do Câncer de Uberlândia é referência de Uberlândia em 59 cidades da região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

Hospital Santa Marta

Intitulado Casa de Saúde Santa Marta o hospital foi inaugurado no dia 2 de fevereiro de 1971. Inicialmente situado na Av. Cesário Alvim, logo após mudou-se para a Av. João Pinheiro e somente no dia 19 de novembro de 2004 foi inaugurado o espaço físico atual, situado à Av. Rondon Pacheco, 704.

Possuindo 4.111 m² e inicialmente dispondo de 64 leitos para internação, 7 leitos de UTI adulto, 5 salas de cirurgias e 16 leitos para berçário.

Hospital e Maternidade MadreCor

O Hospital e Maternidade MadreCor foi inaugurado há 7 anos, quando no dia 20 de agosto de 2005 foi realizado um café da manhã com todos os médicos, funcionários, convidados e autoridades. No dia 30 do mesmo mês houve um jantar dançante no Praia Clube e a inauguração aconteceu no dia 31 de agosto, data de aniversário da cidade, com a presença do então governador Aécio Neves. Hoje se comemora o aniversário do Hospital no dia 12 de setembro, data em que o mesmo entrou em operação de todos os departamentos, mas os primeiros pacientes já deram entrada no Hospital dia 30 de agosto, inclusive com o governador visitando uma parturiente.

Na área de hotelaria, o MadreCor oferece 112 leitos divididos em enfermaria, apartamentos, UTI Neonatal, UTI Coronariana e UTI Geral. Todos os quartos do hospital possuem camas eletrônicas e TV a cabo, para maior conforto ao paciente.  O Hospital foi eleito como a instituição que registra o menor índice de infecção na cidade.

A hospitalidade também é destaque por surpreender aos pacientes com um atendimento diferenciado. O Hospital disponibiliza serviços como notebooks, aparelhos de DVD, beleza (cabeleireiro), vasos de flores, a visita dos Anjos e Companhia (grupo de palhaços contratados para alegrar o ambiente hospitalar) e até a comemoração de aniversário. Em 2008, o Hospital inaugurou no setor de cardiologia a Hemodinâmica e até hoje mais de 3000 exames já foram realizados.

Hospital Santa Genoveva

A história do Hospital Santa Genoveva vem do Hospital São Vicente de Paula que, em 1974 apresentava algumas dificuldades financeiras para se manter de pé. O Dr. Wilson Galvão, juntamente com o Dr. Fausto G. Freitas se prontificaram a fazer uma listagem de colegas que estavam dispostos a auxiliar no empreendimento que iria solucionar os problemas do hospital.

Após um ano fundou-se o Complexo Hospitalar Santa Genoveva, no dia 3 outubro de 1975, com 18 integrantes no seu corpo clínico. Muitos deles fazem parte da equipe do hospital até hoje, como os doutores Antônio Roquette, Carmo Gonzaga, Castinaldo Brasil, Dorinato Jorge, Henrique Garcia, João Kazan, Luizote de Freitas, Milton Viana, Oswaldo de Freitas, Valdo G. Borges e William Daud.

O Hospital Santa Genoveva é o único hospital da região que realiza implante conclear (procedimento cirúrgico que restaura a audição de pacientes com surdez profunda).

Além de bastante comodidade o Santa Genoveva oferece também o acesso Wifi de Internet CTBC e cursos para as gestantes.

A atual diretoria do hospital é composta pelos seguintes médicos:

Diretor Presidente: Dr. Luiz de Freitas Costa Neto; Diretor Administrativo e Financeiro: Dr.Gilson Martins Fayad; Diretor Técnico: Dr. José Hilário Alves Borges; Diretor Clínico: Dr. José Junqueira de Freitas; Vice-Diretor Clínico: Dr. Abdulkarim Milkem

Instituto do Coração do Triângulo

O Instituto do Coração do Triângulo foi inaugurado em 30 de abril de 1996, e foi um marco na saúde não só na região, mas em todo o Brasil, pelo fato de sempre estar utilizando as tecnologias mais inovadoras da América Latina. O grupo foi pioneiro em telemedicina executando transmissões por protocolo na internet, telemonitorização de sinais vitais, reuniões clínicas por protocolos de streaming de vídeo e vídeo-conferências multipontos.

Em 1996 inovou, trazendo ao Triângulo Mineiro o implante de stents coronários convencionais e em 2002 os implantes farmacológicos. O ICT foi o centro de treinamento e divulgação nacional e internacional da técnica de angioplastia coronária por via radial. A telemedicina do ICT é a única a tornar acessíveis imagens de 100MB em tempo real na internet, permitindo a discussão 24 horas por dia, ouvindo segunda opinião médica nacional e até internacional.

Atualmente mais de 80% das cidades do Triângulo Mineiro estão conectadas ao ICT para contatos e diálogos em tempo real sobre casos clínicos. São realizados no Instituto aproximadamente 2700 cateterismos, 700 implantes de stents coronários, 250 ablações por radiofreqüência e 250 cirurgias cardíacas por ano.

Hospital Santa Clara

Há 62 anos, fundado com apenas uma sala de cirurgia, outra de curativos, consultório e 4 quartos, o Hospital Santa Clara é o mais tradicional de Uberlândia. Atualmente contando com 6.000m2 de área construída e o maior número de leitos de UTI adulto na rede privada em Uberlândia. Mesmo fazendo parte da rede privada o Hospital Santa Clara promove ações sociais em bairros carentes na cidade, conquistando por três anos consecutivos o Selo Empresa Cidadã (2004, 2005 e 2006). E em 2007 recebeu o Selo Amigos da Juventude nos anos de 2007 e 2008 além do Selo Amigos da Cultura em 2006 e 2007 e em 2010 recebendo novamente o Selo amigo da Juventude e amigos da Cultura.

Hospital Santa Catarina

Com pouco mais de 40 mil habitantes em Uberlândia, no ano de 1956, foi iniciada a construção do Hospital Santa Catarina. E, mesmo não tendo pavimentação nem iluminação na Avenida Getúlio Vargas, os médicos Dr. Duarte Ulhôa Portilho, Dr. Bolívar Alves Ferreira e Dr. Abdalla Miguel projetaram um prédio especialmente para o ambiente de uma casa de saúde. A inauguração aconteceu em 11 de janeiro de 1958.

O Hospital disponibiliza 80 leitos entre suítes, apartamentos, enfermarias e pronto atendimento. Realizando aproximadamente 350 partos por ano e atendendo cerca de 80 bebês na UTI neonatal. Já na UTI adulto são disponibilizados 13 leitos na unidade localizada no piso térreo e 14 novos leitos equipados com aparelhos de última geração, inaugurados este ano na nova ala para tratamento intensivo de pacientes.

Atualmente possui quatro andares e uma área construída de 4.514 m², com cerca de 500 profissionais disponíveis ao paciente. Desde 2002 é a única instituição privada credenciada pelo SUS e habilitada pelo Ministério da Saúde para realização de transplantes renais em Uberlândia, podendo oferecer toda sua qualidade em execução de transplantes de rins e córneas. Em média, o hospital realiza cerca de 30 transplantes renais anualmente. Desde 2011, o Santa Catarina está autorizado pelo Ministério da Saúde para realizar captação de fígado de pacientes que autorizem a doação para transplantar.

Em parceria com o cardiologista Dr. Roberto Botelho, o Hospital Santa Catarina fundou o ICT – Instituto do Coração do Triângulo, referência mundial em procedimentos e pesquisas cardiológicas possuindo capacidade de realizar duas cirurgias cardíacas simultaneamente.

Hospital Orthomed Center

O Hospital Orthomed Center é renomado pela excelência no atendimento e tratamento em ortopedia e traumatologia no Triângulo Mineiro e região. Fundado há dez anos, em 14 de outubro de 2002, é reconhecido pela qualificação do seu corpo clínico, formado por 19 médicos, sendo dez especialistas de ortopedia e traumatologia, quatro anestesiologistas, um fisioterapeuta, um infectologista, um urologista, um cirurgião plástico e um especialista na Medicina do Exercício e Esporte.

Homenagem a quem trabalha pela saúde                     

“A categoria médica tem passado por momentos difíceis, é verdade. Mas isso nunca foi obstáculo para que todos tentassem se superar no atendimento, na prestação de serviços à população, que realmente precisa dos trabalhos médicos. Então nesse dia nós temos é que pedir a Deus que as coisas possam melhorar e que os médicos tenham mais condições de terem o que merecem, em razão da qualidade da prestação do seu serviço.

O Hospital Santa Catarina, que atualmente tem 200 médicos, vem procurando ao longo do tempo se equipar e adequar suas instalações para que os médicos tenham essas condições, e assim poderem ver os seus trabalhos frutificar e render mais qualidade de vida, salvando cada vez mais pessoas. Nesse dia do médico, mais do que nunca, temos que voltar nossos olhos a Deus e agradecer por tudo isso que Ele tem nos proporcionado”, foi o que resumiu o médico Paulo Salomão, ex-diretor da Unimed Uberlândia, Secretário Municipal de Saúde na administração Virgílio Galassi e atual diretor do Hospital Santa Catarina.

Centenas de outros profissionais também se manifestaram e nós da Revista Dystak’s, parceiros, investidores, leitores e amigos, rendemos aos profissionais médicos os cumprimentos e os votos de que continuem sustentando seus juramentos e cuidando da saúde de todos nós, em todas as áreas, dia e hora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *