Educação, cultura e progresso  

especial-educacao-slider

O velho ditado deve ser sempre colocado em prática: “Para que exista um povoado, basta ter uma igreja, um colégio e um líder”. Isto tem grande valia e significado se formos refletir sobre a história da cidade de Uberlândia, sua construção e crescimento, principalmente se citarmos a relação que envolve a educação na cidade e região.

Nos primórdios, início do século XIX, quando tropeiros e mineradores fizeram por aqui as suas trilhas de passagens, houve na ocupação da região do Triângulo Mineiro o interesse pelas terras, e logo surgiram novos habitantes, que aos poucos foram migrando das atividades antes restritas somente ao campo para a cidade, o que mudou a necessidade das pessoas e a vontade de obter mais recursos, informação e instrução. Nesta época, eram os grandes senhores donos de terras que ditavam as ordens. Felisberto Alves Carrejo proprietário de vários hectares de terras, já tinha grande história e reconhecimento. No entanto seu maior feito e realizações aconteceram em 1835 quando inaugurou na Fazenda da Tenda, o primeiro colégio de ensino em atividade na região. Dali em diante o progresso e o crescimento do então povoado foi tomando forma, começando a história e a relação da educação e população na antiga São Pedro do Uberabinha, hoje a grande Uberlândia.

Os pioneiros na educação

Na Educação poucos, ou talvez somente os mais antigos e estudiosos, devem conhecer por completo a história do Colégio Estadual Bueno Brandão, que em 2011 completou seu centenário e até os dias de hoje se mantém em atividade. Foi a primeira instituição estadual de ensino na cidade, fundada pelo então governador Júlio Bueno Brandão através do decreto-lei n° 3200 de 20 de Junho de 1911, sendo prefeito na época Alexandre Marquez.

Outro colégio estadual de destaque na cidade e que carrega uma tradição de ensino é a Escola Estadual Uberlândia (Museu), fundada em 1929, assim como o Colégio Messias Pedreiro, fundado em 1976.

Lembranças para os alunos

São exemplos também algumas instituições públicas ou privadas que ainda estão em funcionamento ou não, mas que dentro da sociedade uberlandense são lembradas com carinho e formaram vários profissionais que hoje estão no mercado atuando com primazia suas funções: Colégio Guarani, Liceu Anchieta, Galileu, Colégio Brasil Central, Mondragon, Colégio Nossa Senhora, Colégio Profissional, Ginásio Cristo Rei, Instituto Rio Branco, Colégio São Judas Tadeu e Colégio Dom Pedro.

Contamos também com renomados colégios de ensino básico, fundamental e médio da rede privada, alguns não mais em atividade, mas que deixaram um legado e tradição na educação como por exemplo o antigo Colégio Anglo, Objetivo, Colégio Poli, Inconfidência e Colégio Séculos.

Hoje existem dezenas de escolas estaduais e particulares que atuam no setor da educação, buscando oferecer aos estudantes o melhor no aprendizado e preparação para cursos superiores. Após perceberem uma grande demanda, e necessidade de reforço escolar e aperfeiçoamento para as avaliações de ingresso em universidades de cursos superiores, alguns colégios disponibilizam cursos complementares e preparatórios para alunos que se interessem por aprimorar seus conhecimentos. É também uma grande opção e uma evolução para ganho de experiência e conteúdo.

Um diferencial e preocupação de algumas instituições particulares hoje é também a questão da infraestrutura, diferente de como eram ministradas as aulas no tempo do ensino em áreas improvisadas da zona rural, e até mesmo urbanas onde alunos de várias idades, de classes e instruções diferentes dividiam a mesma sala e a mesma professora, não propiciando o bom aproveitamento como nos dias de hoje.

Referência na educação

Além dos ensinos, fundamental e médio, Uberlândia hoje é referência em educação de nível superior. Além da conceituada Universidade Federal, que detém um dos mais disputados processos seletivos para vagas, que disponibilizam cursos desde Administração, Economia, Engenharia, Estatística, Física, Matemática, Sistema de Informação, Medicina, Veterinária até Gestão de Saúde, Letras, Fisioterapia, Nutrição, Odontologia, Relações Internacionais, Zootecnia, Agronomia, Filosofia, Psicologia, Jornalismo, Design, Pedagogia, Artes Visuais, Geografia, História, Dança e Música; estamos sendo atendidos por grandes universidades privadas com conceito e aprovação máxima nos parâmetros da educação e na avaliação nacional do Ministério da Educação – MEC. São exemplos: Faculdade Pitágoras, Unitri – Centro Universitário do Triângulo, Unipac, Faculdade Católica, ESAMC, Faculdade Politécnica, Faculdade do Trabalho e muitas outras, inclusive que oferecerem cursos a distância.

Secretarias

A Secretaria Estadual de Educação, mantém em Uberlândia, a Superintendência Regional de Ensino, que abrange nove cidades e quatro distritos. Destacam na regional as cidades de Araguari e os distritos de (Amanhece e Piracaíba), Nova Ponte, Indianópolis, Monte Alegre de Minas, Araporã, Tupaciguara, Prata, Campina Verde com o distrito de Honorópolis.

Em Uberlândia a Secretaria Municipal de Educação, cuja responsável é a professora Gercina Santana Novaes, administra e mantém em funcionamento 116 escolas, entre os níveis, fundamental e médio, além de 63 EMEI(s) – Escola Municipal de Educação Infantil.

O prefeito Gilmar Machado, garante que até o final de sua administração outras grandes escolas serão inauguradas, com ênfase em nível primário e infantil, os EMEI(s) – Escola Municipal de Educação Infantil que são hoje referência na região e no estado de Minas pela excelência no ensino.

Escola de línguas

Falar inglês, francês, alemão, espanhol e outras línguas estrangeiras tem se tornado hábito e necessidade para crianças, jovens e adultos, pois os idiomas estrangeiros facilitam muito, inclusive na hora dos estudos, cursos de especializações e até no trabalho. Hoje a cidade se destaca com várias escolas especializadas e todas afirmando oferecerem o melhor ensino aos seus alunos.

MEC

Em todos os setores da Educação existe uma preocupação geral quanto ao aproveitamento dos alunos, uma comprovação que é atestada durante as provas de avaliação do desempenho escolar pelo Ministério da Educação e Cultura, como ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), ANRESC (Avaliação Nacional do Rendimento Escolar), ANEB (Avaliação Nacional da Educação Básica), Prova Brasil, entre outras, e que Uberlândia e suas escolas estão sempre bem posicionadas nos rankings de resultado.

Cultura

Na Cultura há um grande vazio, onde inclusive os grandes teatros do Rio de Janeiro, fecharam suas portas no mês de janeiro por falta de verba, inclusive para pagamento dos funcionários das equipes de manutenção, onde professores e alguns voluntários se propuseram a ajudar, mas não conseguiram sanar todos os problemas.

Em Uberlândia existem as discussões quanto ao aproveitamento dos espaços culturais, onde o ex-cine Vera Cruz, hoje Teatro Grande Otelo, está fechado e com debates entre as autoridades competentes, para decisão quanto ao aproveitamento e quais as mudanças devem ser realizadas já que o que está construído, hoje representa perigo para os frequentadores, pois suas instalações estão mal conservadas. Como o Teatro é patrimônio tombado, deve que haver um senso maior para discussão do problema, mas pelo que se nota apesar das reclamações dos artistas, o problema principal é a falta de verba, destinada para execução de obras.

Em contra partida, o Teatro Municipal Oscar Niemeyer está em pleno funcionamento. Ele foi inaugurado em 2012, oferece instalações para eventos culturais o ano todo; além de ser um ponto de encontro dos jovens da cidade que gostam de esportes como patins e skate, que aproveitam a área espaçosa da parte externa do teatro.

Voltando ao passado

 

Viajando no tempo, desde o início da história até os dias de hoje nota-se a evolução de métodos e possibilidades; novas carreiras, novos mercados e novas necessidades. Relembrar as bases da educação faz com que o uberlandense se orgulhe da trajetória escrita, sabendo da potência que esta cidade representa com relação a pessoas, profissionais e grandes empresas. Não existe tempo para desperdiçar, quando o assunto é educação e conhecimento, renovar e buscar novos meios de informação é essencial.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *