Câmara faz homenagem a industriários

Aconteceu no dia 13 de junho, em sessão solene na Câmara Municipal de Uberlândia, a segunda edição da cerimônia de homenagem da Comenda Benjamim Venâncio de Melo, que foi instituída pelo Decreto – Legislativo nº 911/05. O projeto foi proposição do ex-vereador Misac Lacerda. Em vigor desde de 10 de maio de 2005, a homenagem ocorre a cada quatro anos, onde são agraciados com diplomas os industriais de destaque na cidade de Uberlândia. A cerimônia ocorreu no Plenário Homero Santos e contou com as presenças de deputados, vereadores, homenageados e seus familiares, além de profissionais da imprensa local.

Participaram da mesa diretora o presidente da Câmara Municipal, Marcio Nobre; o deputado Tenente Lúcio; a vereadora Jerônima Carlesso; o ex- vereador Magoo; o ex- presidente da Câmara Ângelo Cunha Neto; o presidente da Unedi, Lázaro dos Reis Magalhães; Walter Custódio Pereira, diretor da FIEMG; Tenente Caetano do 5º Batalhão de Bombeiros Militar; Tenente Gomes do 17º BPM e Milton Inhaquitti, presidente do Sindicato Indústria de Panificação de Uberlândia e Região.

Durante o evento 23 pessoas foram homenageadas através dos vereadores: Alexandre Nogueira, Gláucia da Saúde, Marcio Nobre, Rodi, Dr. Mário Milken, Vilmar Resende, Marquinho do Mega Box, Silésio Miranda, Vico, Juliano Modesto, Ismar Prado, Celso Santos, Sebastião Galego, Felipe Attiê, Norberto Nunes, Isac Cruz, Padre Amauri, Jerônima Carlesso, David Thomaz, Adriano Zago, William Alvorada, Leles Lima e Doca Mastroiano.

A cerimônia

A cerimônia teve início às 19:00h. em solenidade cívica, com abertura ao som do Hino Nacional. Depois foram citados na abertura os nomes dos industriais homenageados e em seguida o presidente da Câmara fez a abertura do evento e agradeceu a presença de todos, ressaltando a importância dessas pessoas que contribuem com o setor comercial na indústria de Uberlândia. “O poder legislativo tem essa prerrogativa de prestar o reconhecimento público a essas personalidades e organizações que promovem o desenvolvimento, gerando oportunidade de transformação para o nosso município”.

O deputado estadual Tenente Lúcio cumprimentou os vereadores presentes, os homenageados, familiares e a imprensa. Destacou o trabalho desenvolvido há 28 anos pela Dystak’s, dizendo ser uma indústria da área gráfica com real grandeza naquilo que faz. Falou sobre o objetivo da comenda Benjamim Venâncio de Melo e disse ser uma das comendas mais sérias e dignas da casa. “Com o objetivo de destacar pessoas que participam e que vão continuar participando do progresso de nossa cidade, empresários que são geradores de empregos e pagadores de impostos, que confiam realmente em Uberlândia. Somos muito gratos aos industriais que acreditam em nossa cidade. Parabéns! Vocês participam diretamente do progresso de Uberlândia”.

Em nome do poder legislativo, Felipe Attiê fez um discurso de maneira fervorosa, onde falou sobre as dificuldades enfrentadas pelos industriais e os chamou de “guerreiros”. “Os senhores merecem ser reconhecidos, sabemos dos obstáculos que os industriais enfrentam, como alta carga tributária, problemas com logística, problemas trabalhistas, o valor elevado do preço dos insumos e a concorrência desleal. Obrigado por existirem, parabéns a todos vocês”.

Depois dos discursos foram entregues os diplomas aos homenageados. Em seguida Jorge Adalberto Porto discursou em nome dos homenageados e fez agradecimentos.

Marcio Nobre retomou a palavra e encerrou a sessão no legislativo uberlandense quando os homenageados foram cumprimentados pelos seus familiares, amigos e autoridades.

Benjamim Venâncio de Melo

O homem cuja história inspirou a criação da Comenda foi o pioneiro da indústria no Distrito Industrial. Primeiro industrial a acreditar nas propostas de desenvolvimento e progresso no setor norte da cidade. Era artesão, fabricava canivetes, marcadores de gado e fazia produtos de ferro fundido (fundição). Começou com uma oficina pequena, fazia consertos em máquinas. Ele mesmo projetou e fez através de uma miniatura a primeira máquina de sua fábrica. Morou em Canápolis na década de 50, onde constituiu uma fábrica de implementos agrícolas, a Plantadeiras Brasil. Em 1963, se mudou para Uberlândia e construiu um barracão, no Distrito Industrial para dar continuidade ao seu negócio. Foi quando criou a Imabra Indústrias e Comércio, empresa que fabricava implementos agrícolas, com máquinas pesadas. Tratores, semeadeiras, entre outros. Ao se aposentar vendeu a empresa. Faleceu em 1999 deixando oito filhos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *