A Uberlândia crescente com oportunidades constantes

Uberlândia completa no dia 31 de Agosto, 125 anos, é uma cidade atrativa, onde reúne os mais variados tipos de pessoas com interesses em comum. Desde investidores, empresários, estudantes, visitantes, pessoas que buscam oportunidades de conhecimento, emprego, empreendimentos e turismo. Por ser cheia de possibilidades, como grandes realizações de negócios, entretenimento a oportunidades de crescimento profissional, possibilitando um futuro promissor.

Apresenta atrativos de cidade grande com características de cidade pequena. Além de se localizar estrategicamente, pelo fato de sua malha viária estar ligada aos grandes centros nacionais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia e Brasília, a cidade serve de eixo entre o sul e o norte do País.

Apesar de ser uma cidade com os mais variados tipos de negócios, nunca para de oferecer novidades, como empreendimentos comerciais, investimentos no setor da construção civil e processos de revitalização, com um cenário de desenvolvimento acelerado, que surpreende as pessoas.

Percebe-se uma cidade que traz em seu histórico gente com espírito empreendedor. Que aproveita as oportunidades oferecidas por Uberlândia para se consolidar no mercado.  Está em constante crescimento, com a fama de ser favorável para todos os tipos de segmentos. Há empresários que afirmam com muito fervor que nesta cidade tem espaço para todos crescerem e serem bem sucedidos.

 

Desenvolvimento

 

Para justificar esse crescimento acelerado e tão comentado por todos, ouvimos os depoimentos de pessoas que estão diretamente ligadas a questões que envolvem o desenvolvimento da cidade. Personalidades que representam os setores da Indústria, Turismo, Comércio, Educação e o Mercado de Trabalho. Como Líderes de órgãos públicos locais e regionais, de entidades privadas e empreendedores, que acreditam em Uberlândia.

O Secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo Paulo Romes Junqueira, explica que esse crescimento acelerado de Uberlândia acontece devido a características que envolvem uma série de fatores como o espírito empreendedor dos investidores, o fato de ser cidade pólo, por estar no centro do Triângulo Mineiro e devido ao seu histórico relevante. “Uberlândia está no coração do Brasil, sendo considerada a capital da logística. Em função de todas essas características, a região que é empreendedora faz com que Uberlândia seja o centro de tudo. Então ela capta as oportunidades e faz o desenvolvimento acontecer, considerando também as atitudes do povo de Uberlândia, que faz com que a cidade cresça. Não diria um crescimento vegetativo e natural, mas em função da força da classe produtiva de Uberlândia. Refiro-me a toda à classe, que são empresários e trabalhadores. A cidade atrai empreendedores e quando chegam e percebem que é um lugar promissor, se movem, sendo levados ao crescimento. Como se fosse uma força motriz que impulsiona as pessoas para querer algo mais. Se for como empregado ele empreende e do próprio trabalho quer fazer carreira. Se for empreendedor ele quer começar e quer crescer. Quando tem uma loja quer ter duas, três e assim impulsionam”.

Turismo

 

Outro fator considerado muito importante para a realização de negócios que aquece a economia e gera muitos empregos na cidade é o Turismo de Negócios. Além do Turismo Esportivo que está em evidência por causa da mega estrutura que Uberlândia oferece.

Segundo dados do Uberlândia Convention & Visitors Bureau, no período de 2008 a 2012 foram registrados aproximadamente 1.205 médios e grandes eventos que geraram uma movimentação de mais de R$ 53 milhões na economia local em hospedagens.

No último ano foram movimentados mais de R$22 milhões em pernoites durante os grandes eventos realizados na cidade.

Uberlândia além de oferecer localização estratégica, por estar próxima aos principais centros comerciais do País, tornou-se um Pólo Nacional de Turismo de Negócios e Eventos. Dispondo de uma completa rede de serviços para a realização de grandes feiras, seminários, congressos entre outros. Atualmente conta com uma repleta infraestrutura para vários tipos de acontecimentos. Destacando amplos Centros de Convenções, como o Center Convention, que tem capacidade para receber até 15 eventos simultâneos, como um deles.

Quanto a hospedagens a cidade abriga 50 hotéis, sendo 45 na área urbana e cinco hotéis fazenda, oferecendo aproximadamente 6.000 leitos, e ainda está ampliando esses espaços com a construção de novos empreendimentos para tornar ainda maior a média de turistas que visitam a cidade, número que hoje ultrapassa um milhão por ano.

A cidade já se destaca pelos grandes eventos que acontecem como o CAMARU – Exposição Agropecuária de Uberlândia; a FENIUB (Feira Nacional da Indústria de Uberlândia); e o Festival de Dança do Triângulo, realizado pela Prefeitura de Uberlândia, com a participação de grupos de dança de várias cidades do Brasil.

A cidade também evidencia sua estrutura, quanto ao Turismo Esportivo. E se prepara cada vez mais, com seu complexo esportivo para abrigar eventos de grande porte. Como a arena Tancredo Neves (Sabiazinho), que faz parte do Complexo do Sabiá, sendo uma das maiores e mais modernas arenas multiuso do Brasil, com 10,5 mil metros quadrados de área e capacidade para oito mil pessoas acomodadas em cadeiras.

Uberlândia também conta com um grande estádio de futebol, o terceiro de Minas Gerais (atrás do Mineirão e do Ginásio Poliesportivo Inconfidência de Belo Horizonte), que está em fase de modernização para atender melhor a demanda de grandes eventos e grandes campeonatos de futebol, nacionais e internacionais.

Outra estrutura que merece destaque é a Vila Olímpica do SESI. Com pista de atletismo, dois campos de futebol society, uma arena de vôlei e futebol de areia. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, a Vila Olímpica terá em breve um novo ginásio, com piscinas olímpicas cobertas e aquecidas, arquibancadas para mil pessoas, estrutura própria de acesso e competições, e um hotel para acomodar 180 hóspedes-atletas, tudo dentro dos padrões internacionais.

Com esses números evidenciados, percebe-se o motivo de Uberlândia ter sido selecionada pela FIFA e pelo Comitê Olímpico Internacional, como possível Centro de Treinamento para a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016.

 “Estamos trabalhando para ampliarmos as características do Turismo de Negócios, Turismo Rural e Esportivo, buscamos grandes eventos esportivos, para termos atrativos nessa área. Mas o de negócio é a nossa característica principal, por ser natural. A cidade tem uma movimentação de segunda à sexta feira, muito diferente. Pelo fato de ter grandes indústrias em Uberlândia. Por ter o maior centro atacadista da América Latina. Os empresários e industriais visitam Uberlândia nesse período, no chamado Turismo de Negócios”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo Paulo Romes.

O secretário, também considera muito promissor o Turismo Esportivo e afirma não medir esforços para evidenciar Uberlândia. “Trouxemos grandes jogos para a cidade, vamos trazer a Seleção Brasileira de Vôlei para ficar em Uberlândia. Além de que estamos buscando uma seleção olímpica para fazer a pré-olimpíada aqui e escolher Uberlândia como sede. Inclusive temos grandes chances, estamos preparados para receber eventos como esse. Vamos continuar buscando grandes eventos esportivos para acontecer em Uberlândia”, afirma Paulo Romes.

Segundo o presidente do Convention & Visitors Bureau Luiz Gustavo Fernandes, a cidade oferece as mais variadas possibilidades de negócios, trazendo eventos atrativos de vários segmentos. Ele destaca os vários tipos de turismo que acontece em Uberlândia.

O Convention & Visitors Bureau são uma fundação que partiu da iniciativa privada e atua há 11 anos congregando todas as empresas e trechos turísticos da região, em parceria com o poder público. Segundo Fernandes todas as instituições voltadas para o turismo da cidade, sejam elas prestadoras de serviços, agências de viagens e a parte de eventos, envolvem a rede hoteleira, bares e restaurantes. “O carro chefe de Uberlândia, é o Turismo de Negócios e eventos. O corporativo que ocorre durante a semana é muito forte. Claro que temos desenvolvido outras ações em paralelo para promover a cidade. Inclusive essas ocorrem em parceria com o SEBRAE, com alguns levantamentos que temos feito sobre a região. Em conjunto com a Prefeitura Municipal de Uberlândia, em parceira com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

Agora estamos levantando diagnóstico sobre o Turismo Rural que é um potencial na região. Vale destacar ainda o Turismo de Lazer, porque a cidade recebe nos finais de semana muita gente de fora. As pessoas vêm pela gastronomia e entretenimento, para frequentar os shoppings, os cinemas e festas familiares, empresariais, sociais e promocionais com formaturas ou espetáculos de shows com grandes artistas”. Fernandes afirma que nos processos de captações o Convention Bureau trabalha mais focado nos congressos técnicos científicos. São eventos que acontecem em associação com as universidades. Atualmente trabalham em conjunto com a UFU na promoção de eventos para Uberlândia. “Além dos que realizamos junto com as universidades, também buscamos os que acontecem fora daqui e tentamos trazê-los para cidade. Captamos um encontro de negócios o ASSEMAE (Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento), que estará em sua 44ª edição, voltado para empresas e associações de saneamentos municipais, com toda a parceria do Município através da Secretaria de Desenvolvimento Social, com o Convention Bureau e com a participação do empresariado local, nós conseguimos trazê-lo para o próximo ano. Um evento importante que trará cerca de 2.500 pessoas ocorrerá durante uma semana, consumindo e gerando hospedagens e serviços. Mostramos toda estrutura técnica que a cidade tem nesse quesito, como saneamento básico, esgoto e outras garantias que os visitantes gostam de ver. Trazer esse tipo de evento é benéfico para a cidade porque os organizadores privilegiam a estrutura local, tentando fazer todas as contratações daqui”. O presidente da Fundação ressalta ainda que em Uberlândia acontece em média 300 eventos por ano, dos mais diversificados, desde pequeno, médio e grande porte. Eventos corporativos, entretenimento entre outros. “Temos festas com públicos grandes, mas temos também encontros pequenos com grande movimentação econômica. Normalmente ocorre de termos um público direcionado com uma circulação alta de capital”, afirma.

“Com o objetivo de movimentar economicamente e financeiramente a cidade, o Convention Bureau tem feito um trabalho de conscientização para que as pessoas saibam que se trata de uma Fundação sem fins lucrativos, composta por 120 empresas, que a mantém. Essas empresas fazem muito esforço juntamente com a diretoria executiva, buscando para a cidade eventos e gerando recursos”, reitera Fernandes.

Indústria

 

Segundo dados do IBGE (RAIS), Uberlândia apresenta um total de 17.466 empresas distribuídas nos setores: construção civil, comércio, serviços e agropecuária. Sendo 3.060 indústrias na cidade, vale ressaltar que 1.573 são do setor da construção civil.

Quanto ao mercado de trabalho referente ao período de Janeiro a Maio de 2013 foram admitidos nos setores da indústria, construção civil, comércio, serviços e agropecuária: 58.698 contra 54.972 demitidos. Mantendo um saldo positivo de 3.726 contratações.

Segundo o presidente da FIEMG Regional Vale do Paranaíba, Pedro Lacerda, que está em seu terceiro mandato, a frente da entidade, o desenvolvimento da indústria está em uma boa fase, com destaque para alguns setores. Como os de alimentação, da construção civil e indústria metalúrgica. “O desenvolvimento da indústria em Uberlândia está um pouco acima da média nacional. Por sermos uma região de agronegócio e trabalharmos muito a commoditie agrícola, a nossa região acaba sendo privilegiada, acima das demais, principalmente no que se refere ao setor de alimentação. A economia do agronegócio e tudo o que envolve  essa cadeia produtiva vai bem. Como vendas de sementes, tratores, carros, e de todos os insumos, fertilizantes, defensivos, enfim a nossa região é muito boa”, afirma.

Lacerda ressalta ainda que apesar de a indústria de Uberlândia se destacar dentre as demais cidades da região, ela tem potencial para investir mais em planejamento e estratégias, atuando de forma inovadora, tornando os setores mais atrativos. “A cidade precisa agregar valor nas suas novas conquistas de empresas. Como as empresas que investem em pesquisadores, em cientistas, e consequentemente são pessoas que ganham mais. Pessoas que estão na nossa região. Nós temos um pólo educacional muito forte com mais de 15 faculdades e uma grande Universidade Federal, possibilitando condições de reter talentos, podendo mudar o tipo de atração de novas indústrias. Todo crescimento é positivo, mas ele tem que vir acompanhado de planejamento, projetos e riqueza. Uberlândia é uma cidade teoricamente produtiva”.

No que se refere a projeções, Lacerda afirma que estão fazendo planejamento estratégico. “Estamos nos preparando junto com a Secretaria de Gestão Estratégica, para o futuro de Uberlândia, já estamos projetando os próximos 30 anos. Acredito que esse trabalho que tem sido feito agora, com empresa de consultoria e através de pesquisas, vamos identificar e saber aonde Uberlândia quer chegar com seu crescimento. Queremos uma mão de obra intensiva, pessoas de alto nível, com cargos gerenciais e pesquisadores, que mudem as características dos produtos, além de fazer o básico, faça o produto com maior valor agregado. Dessa forma o PIB de Uberlândia vai melhorar a médio e longo prazo”.

O presidente reitera que Uberlândia tem muito potencial para a indústria, mas fala em nome das 14 cidades da região, que fazem parte da FIEMG Regional, e conclui que estão preparados para receber e auxiliar os empreendedores no que for preciso. “Nós vamos estudar o tipo de indústria, de acordo com o interesse de cada um. Vamos indicar a melhor região para a instalação da planta industrial, para que o empresário enxergue onde ele deve investir. São três os fatores considerados importantes: mão de obra mais barata, o que realmente proporciona sustentabilidade para qualquer negócio, o espaço físico, enfim o que ele conseguir de agregado nesse quesito e logicamente os incentivos fiscais. Assim negociando com o governo estadual e federal, as cidades conseguem oferecer essa somatória atrativa, para que o empresário realmente invista”.

 

UNEDI

 

O empresário e presidente da UNEDI (União das Empresas do Distrito Industrial de Uberlândia), Lázaro dos Reis Magalhães, afirma que o progresso dos últimos anos na área da indústria em Uberlândia, foi surpreendente, pois a demanda superou o que o município e o estado ofereceram. “Há uma quantidade alta de grandes empreendedores, querendo se instalar em Uberlândia, por ser uma cidade planejada logística e estrategicamente. Para atender a demanda atual seria necessário no mínimo dobrar a quantidade de espaço disponível para receber essas empresas interessadas. Ressalto que vale a pena investir no industrial, porque o retorno é positivo. A indústria alavanca o crescimento da cidade e traz uma quantidade significativa de empregos. Além de que aumenta a credibilidade, quando uma empresa grande vem para o município. Há necessidade de investir nas indústrias, falta estrutura para receber as grandes instituições. O Distrito Industrial demanda de um espaço de dois milhões de metros quadrados para acolher essas grandes empresas”.

Comércio

O comércio varejista em Uberlândia chama a atenção e tende trazer cada dia mais novidades, principalmente no que diz respeito aos centros comerciais, que abrem em vários locais da cidade. Expansões que se destacam pela beleza arquitetônica e pela estrutura bem planejada.

Segundo Celso Vilela presidente da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) o comércio varejista como outros setores está se preparando para atender melhor o consumidor, porque o público está mais exigente e criterioso. A tendência é que os comerciantes se preocupem cada vez mais em trazer maior conforto, variedade e comodidade para os clientes, buscando criar situações de convivência mais saudáveis entre os consumidores. E através de pesquisa de mercado, os investidores apostam nos locais adequados para empreenderem, inclusive estão mais atentos quanto aos pontos e locais estratégicos para atender ao público e obter resultados positivos.

Para Celso Vilela, a grande quantidade de centros comerciais que estão sendo construídos e inaugurados tem a ver com a demanda e terá público para isso. Ele acredita que quando os empresários investem em espaços como galerias, centros pequenos de convenção e de reunião de empresas, estão dando o primeiro passo, para acolher ainda mais o comércio. Afirma ser uma manifestação dinâmica e atuante da iniciativa privada em Uberlândia. Favorecendo situações para acolher o crescimento que está vindo. “Percebemos que existem construtores e arquitetos que se preocupam em fazer edificações diferentes daquelas do sistema convencional. Com material diferenciado, fachadas que chamam a atenção, estruturas bem planejadas, mostrando preocupação com o acesso a pessoas com necessidades especiais, isso é muito importante. Existem locais onde as pessoas entram e se sentem valorizadas. Como os shoppings, que são âncoras da cidade com grandes lojas de departamentos e existem os centros comerciais que ganham espaço e estão muito bem estruturados para atender com muito conforto os clientes”.

Ele ressalta ainda que o centro da cidade desperta muitos consumidores, mas que precisa ser acelerado o processo de revitalização para oferecer mais qualidade e segurança, no sentido de se preparar para atender melhor esse público, que tende a aumentar, com essa gama de atrativos que tem vindo para o centro da cidade. “A região central precisa estar preparada para receber as novidades, como a Lojas Americanas que está sendo construída em uma grande área na Avenida Afonso Pena, a C&A, construindo ao lado do edifício Chams, além de outras empresas de expressão nacional, que estão muito presentes nas lojas de rua. Esses investimentos demonstram o quanto o comércio de shopping e de rua em Uberlândia, é interessante e está em crescimento constante”, afirma Celso Vilela.

No comércio varejista de Uberlândia existem 25 mil empresas abertas, em funcionamento, disse Celso Vilela. Ele conta que, sempre recebe pessoas para fazer investimento, procurando a CDL, querendo ser acolhidas. “Quando chegam aqui percebem que há espaço para crescer. Com certeza terão muitas lojas para essas construções. Se há hoje uma grande disponibilidade de espaços vazios, é porque as empresas estão muito mais criteriosas na seleção do ponto comercial. Além dos investidores que vem para Uberlândia, outro fator favorável ao crescimento da cidade é a positividade que o Uberlandense transmite, ao orgulho que ele demonstra de ser daqui ou de morar na cidade, são pessoas acolhedoras. Uberlândia encanta o dia todo. Outro atrativo é a grande potencialidade que apresenta, nas questões econômicas, sociais e políticas. O lojista quando quer ter a sua empresa com visibilidade e sendo reverenciada em todo o Brasil, ele tem que estar estrategicamente instalado em Uberlândia. O importante é continuar vendendo essa imagem e melhorar cada vez mais”, ressalta Celso Vilela.

Educação

 

A educação Uberlandense se destaca pela quantidade de instituições de ensino disponíveis, principalmente pela Universidade Federal, que é fator relevante quanto à atratividade de pessoas de fora favorecendo o crescimento do município e contribuindo com a formação de talentos.

Wagner Lemos de Rezende, com experiência de 40 anos na área da educação e superintende regional de Ensino desde novembro de 2011, fala sobre a educação mineira e destaca o quanto o setor educacional de Uberlândia está bem posicionado.

“A educação contribui muito com o crescimento do nosso país. O Governador Antônio Anastasia, já publicou em nota recentemente, que destinará quase 300 milhões dos Royalties da mineração para investir na educação. Todas essas medidas estimularão no futuro, em médio prazo o crescimento ainda maior desse setor educacional. Quanto à educação de Minas Gerais, temos o orgulho de falar que estamos em primeiro lugar nível Brasil, em relação ao ensino fundamental, (anos iniciais) no PROALFA (Programa de Avaliação da Alfabetização). Nós ainda não nos classificamos em primeiro lugar, no que se refere ao ensino fundamental, na modalidade (anos finais) do PROALFA, por causa da repetência, que é muito acentuada na Zona da Mata. Quanto ao ensino médio hoje estamos em terceiro lugar em nível Brasil”.

Em nível de estado e de curso superior, Uberlândia é considerada uma potência significativa em número de faculdades. Por ter uma Universidade em nível nacional, reconhecida, e nos ensinos médio e fundamental, hoje a cidade faz por onde dar todo aparato, para que todas as crianças do oitavo ano saibam ler e escrever, possibilitando melhor preparação, para quando estiver no ensino médio e diminuindo o analfabetismo da população, afirma Rezende.

“Com essa gama de faculdades e instituições que oferecem novos cursos, contribuindo para o crescimento da população, que chega hoje sem aquela mão de obra especializada consideramos como o grande atrativo, da quantidade de pessoas que procuram Uberlândia. Inclusive nos reunimos com diretores de algumas faculdades, procurando junto a Superintendência intervir para que tragam mais cursos profissionalizantes para a cidade, já que o PRONATEC (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) e o PEP (Programa de Educação Profissional) são realidade. Nós somos os mediadores juntamente com a Secretaria de Educação para que esses cursos venham para as nossas universidades aqui e para que possa crescer esse alunato do ensino médio profissionalizante.

 De 2012 a 2013, não tivemos nenhum problema de falta de vagas das nossas escolas estaduais. Em parceria com a Prefeitura Municipal de Uberlândia, aonde ainda não têm escolas construídas, oferecemos salas da nossa rede e a Prefeitura através da Secretaria Municipal, faz o transporte dessas crianças, contribuindo assim para que elas estejam estudando. Quanto a esses bairros que ainda não tem escolas, em curto e médio prazo, acredito que serão construídas”, ressalta Rezende.

O superintendente afirmou ter muito orgulho pelos números positivos que a cidade apresenta no setor educacional. “Comemoramos junto com essa cidade maravilhosa e empreendedora, nesse aniversário de 125 anos, esse sucesso na educação. Poder vivenciar esse modelo de crescimento da nossa cidade. E presenciar o ensino contribuindo para que isso aconteça, é muito satisfatório”, afirma Rezende.

 

Mercado de Trabalho

 

Uberlândia também se destaca pela quantidade de empregos que oferece e por receber de forma acolhedora as pessoas de vários locais da região. Muitos que vem para a cidade visam se inserir no mercado de trabalho buscando além do conhecimento, sucesso profissional. Geralmente são atraídos pelos números de oportunidades de trabalho, que são crescentes, porque nos últimos anos percebe-se que não falta emprego em Uberlândia.

Segundo a Doutora em Economia e Docente do Instituto de Economia da UFU, Darcilene Gomes, a possibilidade de encontrar um emprego com carteira assinada é relativamente alta.

“Uberlândia gerou mais de sete mil e quinhentos postos formais de  trabalho em 2012. Significa que, foram adicionados ao estoque de empregos do município mais  de sete mil novas vagas no ano passado. No ano anterior (2011), registrou-se um saldo positivo de mais de nove mil postos no município. Em relação ao total de empregos formais na cidade, pode-se afirmar que este número ultrapassa 200 mil pessoas”, afirma Darcilene Gomes.

Quanto aos setores que apresentam o maior número de contratações em Uberlândia, a Doutora afirma que o mercado de trabalho no município é caracterizado por uma elevada participação do setor de serviços na estrutura de emprego representando 44,6%. Já entre os segmentos do setor de serviços que mais empregam, destacam-se os serviços de apoio a empresas de teleatendimento, como exemplo e os serviços de educação.

No setor industrial (indústria de transformação) estão empregados 15% dos trabalhadores formais do município e os segmentos mais representativos são: produção de alimentos e indústria química. A construção civil também é importante empregadora na cidade com cerca de 7% dos empregos formais. Merece destaque, ainda, o comércio tanto atacadista quanto varejista  que representa 23% dos empregos formais.

Em relação à falta de mão de obra, Darcilene Gomes disse ser comum se falar em “apagão de mão de obra” em segmentos que experimentam intenso crescimento e, para os quais, não existem profissionais formados no País, como ocorre em ramos específicos da indústria. “Também é recorrente certa ‘reclamação’ de segmentos empresariais em relação à falta de profissionais capacitados. Mas o que pode ser visto, de fato, é que o tal apagão está localizado em atividades específicas, não sendo generalizado. Mas desconheço qualquer pesquisa realizada em Uberlândia com tal  objetivo”.

De forma geral nota-se que Uberlândia está bem posicionada quanto a oportunidades de trabalho e empregabilidade. Segundo a Doutora, a cidade se beneficiou do crescimento observado no País em vários anos da década de 2000 e conseguiu apresentar uma dinâmica de geração de empregos que se “descolou” da nacional em alguns períodos.

“A estrutura de empregos também beneficia a geração de postos na cidade, pois, em geral, o setor de serviços é altamente empregador. Como o crescimento dos últimos anos beneficiou muito o setor de serviços, e como o setor tem elevada participação na estrutura de empregos de Uberlândia, o crescimento gerou mais empregos aqui”, ressalta Darcilene Gomes.

O empreendedor

 

Em Uberlândia moram muitas pessoas de fora, desde brasileiros de vários estados a imigrantes árabes, italianos, libaneses, entre outros que influenciam em nossa cultura e se adaptam a nossas tradições. Pessoas corajosas, que vieram construir suas vidas com muita luta e dedicação. Elas empreendem e acreditam nessa terra, se enraízam e se consolidam.

O empresário Mustafá Mohamad Hamdan, exemplo de pessoa bem sucedida, que se enraizou em Uberlândia. Ele veio para o Brasil aos 18 anos de idade, inicialmente morou em São Paulo, mas através de suas viagens, conheceu Uberlândia e aqui ficou, onde mora há mais de 40 anos. Iniciou trabalhando como mascate, vendendo roupas. Estabeleceu-se, na área comercial como proprietário de uma loja de confecções. Entre 1969 a 1975 fundou duas empresas, a Lunar Ltda, atuando na confecção de lingerie, e a confecção Luminar.

Mustafá passou a atuar no setor imobiliário em 1992, construindo imóveis e administrando suas propriedades. Construiu o Centro Mustafá Mohamad Hamdan, localizado na Avenida Floriano Peixoto, conhecido como Mustafá Center.

Atualmente além de administrar os negócios, Mustafá atua como pecuarista.

Hamdan foi naturalizado brasileiro em 1977. Além de ser bem sucedido nos negócios, constituiu família, casou com Laila Espir Hamdan, que é nascida em Uberlândia e teve cinco filhos: Samir, Fuad, Salua, Nadia e Najla.

“Instalei-me nessa cidade, da qual gosto muito e não tenho vontade de morar em outro lugar. Já morei em São Paulo, mas aqui é muito melhor. Uberlândia é maravilhosa, em todos os sentidos, tudo o que precisamos temos aqui. Desde amizade, entretenimento, lazer, tem de tudo, ela preenche as pessoas”.

O sucesso dos negócios ele atribui a muito trabalho e dedicação, mas ressalta que Uberlândia tem um diferencial competitivo, principalmente por causa da localização. “Iniciei vendendo roupas, depois como industrial e graças a Deus, me consolidei no mercado. Uberlândia é uma cidade ampla e favorável aos negócios, cheia de oportunidades. Quem bebe a água de Uberlândia, fica aqui mesmo. Eu bebi e saio somente se for a passeio”, afirmou o empresário.

Amor por Uberlândia

 

Apesar de terem muitos moradores de Uberlândia que são de fora, existem vários que nasceram aqui e se expressam com muito orgulho ao falar sobre o local, principalmente quando se trata de defender a “terrinha”. Gente que fala que tudo que é plantado em Uberlândia dá frutos. Vale destacar também pessoas que vieram há anos e são consideradas filhas de Uberlândia.

Nascida em Araxá, moradora de Uberlândia há mais de 40 anos, Daisy Afonso, Diretora Regional da SEDESE (Secretaria de Estado Desenvolvimento Social), conta que acompanhou esse crescimento acelerado do município, e faz questão de lembrar que Uberlândia se destacou por causa da força empreendedora dos moradores dessa terra. Gente que aproveitou as chances que o município ofereceu e buscou o sucesso. Além de ressaltar que as instituições de ensino contribuíram muito para que esse sucesso acontecesse.

“Amo Uberlândia, me considero uberlandense, fico impressionada ao lembrar, como era a cidade há alguns anos e comparo com o atual momento. Como Uberlândia desenvolveu-se rapidamente e aumentou a quantidade de habitantes, principalmente a partir dos anos 80. Fico emocionada porque estou entre as pessoas que chegaram à cidade, há algum tempo e construíram suas vidas aqui. Sei o quanto a cidade é valiosa, porque ela consegue agradar a todos, tanto os que vêm de fora, como os que são nascidos aqui. As pessoas gostam tanto, que criam raízes e depois trazem seus familiares. Essa terra é produtiva, tudo que monta aqui desenvolve. Além de ser cheia de oportunidades, outro aspecto que me chama a atenção é a aparência da cidade. Quando recebo amigos e parentes, fico orgulhosa com os elogios. É uma cidade bonita e limpa. Apesar de seu crescimento, continua com uma infraestrutura exemplar”.

Através dos depoimentos e baseado em histórias do município, nota-se que os moradores de Uberlândia, nunca mediram esforços, para contribuir com o desenvolvimento. O município progrediu graças ao idealismo das pessoas que aqui viviam logo no início quando ainda era chamada de Uberabinha. Assim continuam, com pessoas de garra, que marcaram e que são responsáveis pelo desenvolvimento e crescimento dessa cidade. O fato de Uberlândia se destacar está ligado a vários fatores como pessoas com espírito empreendedor que acreditam e falam bem de Uberlândia, sempre de maneira positiva, que montaram negócios e contribuíram com vários setores, com o mercado de trabalho e geração de renda. Educadores que lutaram para trazer as escolas e universidades, políticos da época, os atuais e os empresários. Além de órgãos públicos municipais, estaduais e federais. Todos uniram suas forças, foram e são responsáveis por essa gama de atrativos que favorece o crescimento constante de Uberlândia. Se destacando cada vez mais, porque Uberlândia não pára.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *